sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

- Céu e Inferno.


Passamos a vida inteira pensando em irmos para o céu. Ninguém deseja ir para o inferno, mas na verdade já vivemos em um. Em que há guerras, fome e muito sofrimento. Filho matando pai. Pai estuprando e matando seus filhos. Sequestros, pedofilia. Violência contra mulheres e até contra crianças.
Vivemos num inferno de mundo de falsidade, de ambição. O rico ficando cada vez mais rico e o pobre cada vez mais miserável.
Vivemos num inferno de mundo que a cor da pele tem mais poder do que o brilho no olhar e a sinceridade no coração. Onde o poder aquisitivo é mais valorizado do que aquele que o possui.
Vivemos num inferno de mundo que somos o que possuímos. Muitos passam anos de suas vidas estudando, se dedicando e perdem aquela grande oportunidade de trabalho ou uma ótima bolsa para um quase analfabeto, "filho de papai", que tem condições de colocá-lo em qualquer empresa que der na "telha".
Vivemos num inferno de mundo que o amor, para muitos, deixou de ser o sentimento que todos adoravam, almejavam e passou a ser uma troca de favores, de valores. O amor deixou de ser um sentimento valorizado e passou a ser banalizado. O prazer da relação sexual deixou de acontecer só quando houvesse amor e passou a ser uma vaga garantida de emprego, uma aposta com os amigos.
Vivemos num inferno de mundo que tudo gira em torno do poder. Que não há pieadade com os humanos. Que não há ajuda ao próximo, mas quanto mais puder sugar, mais sugado será.
Vivemos num inferno de mundo que a paz não existe, nem mesmo dentro de nós, quem dirá em nosso lar. Nascemos neste inferno de mundo e que piora a cada dia, mas nada fazemos para mudar, pois a vida nos adapta a vivermos assim.
Vivemos num inferno de mundo que as coisas ruins estão piores e as coisas boas já deixaram de ser. Não podemos mudar o mundo, mas podemos nos mudar e assim poderemos sentir um pedacinho do céu através de nós, antes da nossa partida ao tão desejado paraíso.

Um comentário:

vitor disse...

parabéns,isso é uma grande verdade. Foi vc que produziu?